Padrões da Vila Itororó, por Mônica Nador
“Tons queimados, um tanto fechados: um vermelho terra, um amarelo mostarda, cores de uma arquitetura brasileira mais antiga”. É com essas palavras que a artista Mônica Nador descreve as cores que escolheu para o trabalho desenvolvido na Vila Itororó. Uma porta vermelha, que encontrou no local, serviu de disparador. O
Panapanã, por Carla Zaccagnini
Já olhou uma borboleta de perto? Já prestou atenção no seu processo de transformação, ou, para melhor dizer, de metamorfose? Instigada a criar uma obra que pudesse propor caminhos para inventar novas formas de contar a história da Vila Itororó, e tornar o seu passado algo mais presente, a artista
Caderno EMURB sobre a Vila Itororó (1991)
Levantamento do histórico e da situação arquitetônica e urbana da Vila Itororó em 1991, realizado pelo Departamento de Planejamento e Participação da Empresa Municipal de Urbanização (EMURB).
Vila Itororó: Uma história em três atos, por Sarah Feldman e Ana Castro
A obra acompanha a trajetória da Vila Itororó, desde sua idealização e construção por Francisco de Castro, num momento crucial de modernização de São Paulo, no início do século XX, passando pelas dinâmicas internas do conjunto após a morte de seu construtor, até quando a função residencial no espaço passa
Vila Itororó, por Benedito Lima de Toledo
Marco no modo como a Vila Itororó é compreendida em relação à história da cidade de São Paulo, a pesquisa do arquiteto e pesquisador Benedito Lima de Toledo é lançada no formato de um livro, editado pelo projeto Vila Itororó Canteiro Aberto. Focando na excepcionalidade da Vila em relação às
Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support
×